Coleção Ares N.º 23 - Saúde e Comportamento Humano nas Forças Armadas Portuguesas: Desafios e Oportunidades

Editorial

Uma das missões fundamentais do Instituto Universitário Militar é a de promover a difusão do conhecimento e da cultura, fundamentalmente em áreas de interesse para a segurança e defesa nacionais, desiderato que cumpre porfiadamente, nomeadamente através das suas diversas linhas editoriais, nas quais se integra a Coleção ARES.
Nesta ocasião optou-se pela publicação de uma obra centrada em apenas uma das cinco áreas que integram as Ciências Militares (definida no artigo 5.º do Decreto-Lei número 249/2015, de 28 de outubro): a área do Comportamento humano e saúde em contexto militar.
Assim, a presente publicação, intitulada Saúde e Comportamento Humano nas Forças Armadas Portuguesas: Desafios e Oportunidades, integra um conjunto de quatro estudos em que são tratados temas particularmente importantes do universo da Saúde, percebida no seu sentido lato de completo bem-estar (físico, mental e social).
Com uma identidade, estrutura, enquadramento concetual e metodológico próprios, as investigações cujos resultados são levados à estampa neste número 23 da Coleção ARES, comungam do propósito de efetuar um diagnóstico da realidade atual, realizar um levantamento de boas práticas e propor modelos de ação (objetivamente enquadrados com praxis nacionais e supranacionais de comprovado sucesso, mas, também, operacionalizados à medida da realidade castrense portuguesa) com potencial de implementação, pelas Forças Armadas Portuguesas, naquela que é a sua Saúde Militar.
Estes quatro estudos perfilham a perspetiva individual (da coordenadora e dos vários autores) de transformar as eventuais contenções, restrições, limitações e mudanças que atualmente se impõem à Saúde, em geral, e à Saúde Militar, em particular, em desafios e oportunidades de enriquecimento, crescimento, evolução e otimização nesta específica área de atuação, tão importante como exigente.
Por tratar de matérias assaz pertinentes da área da Saúde Militar, cuja partilha se torna, a meu ver, extremamente importante, foi com particular agrado que acolhi e incentivei a sugestão de fazer a edição inteiramente bilingue (português-inglês) desta obra, circunstância que decerto ampliará o seu âmbito de divulgação.
Pela complementaridade dos conteúdos abordados e aplicabilidade dos modelos propostos nesta obra, pela preocupação de rigor que lhe subjaz, assim como pela sua organização, profundidade e contemporaneidade, considero que a sua leitura interessará tanto aos militares que trabalham na área da Saúde como a todos demais, assim como a investigadores e a todos quantos se interessem pela temática da Saúde Militar.
A todos, votos sinceros de uma proveitosa leitura.

IUM em Pedrouços, 03 de setembro de 2018

Vice-almirante Edgar Marcos de Bastos Ribeiro
Comandante do IUM

Artigos

Formação Curricular em Saúde Operacional

Resumo

A uniformização de procedimentos em saúde operacional (SOp) é fundamental nas missões multinacionais de modo a garantir a qualidade e a otimizar a interoperabilidade. Este trabalho tem como objetivo identificar áreas de Formação Curricular em Saúde Operacional (FCSO) a implementar nas Forças Armadas Portuguesas (FFAA). Caracterizou-se a FCSO existente no nosso país, discutiu-se a sua adequação às necessidades e avaliaram-se as suas lacunas. Analisaram-se modelos da SOp em países aliados e em organizações de que Portugal faz parte, identificando-se aspetos passíveis de implementação em Portugal. Foram ainda identificadas as necessidades mais relevantes sentidas no apoio sanitário à atividade operacional em Portugal. Detetaram-se fragilidades e propõem-se medidas para um modelo de FCSO a implementar, nomeadamente: colocar esta formação na dependência da Direção de Saúde Militar, criar um conjunto específico de matérias a ministrar no início da carreira do médico militar, promover o treino periódico, criar protocolos com instituições civis na área da emergência, assegurar atualização e certificação de competências, melhorar a formação relacionada com as missões internacionais e desenvolver um sistema de recolha de informação em SOp.

Palavras-chave

Apoio Sanitário, Atividade Operacional, Campanha, Formação, Saúde Operacional.

Autor(es) (*)

Avatar David Daniel Marques Veríssimo
Avatar João Pedro Ivens Ferraz Jácome de Castro
Avatar Jorge Manuel Barreiro Saramago
Avatar Mafalda Sofia Fernandes Marcelino Rodrigues
 243 | 33
A Cultura da Qualidade na Saúde do Hospital das Forças Armadas Portuguesas

Resumo

O presente trabalho de investigação estuda o tema da cultura da qualidade na saúde no Hospital das Forças Armadas – Pólo de Lisboa (HFAR-PL), analisando indicadores da qualidade na saúde e segurança do doente por parte de diversos serviços deste hospital, a associação destes indicadores à produtividade e à competitividade hospitalares, a cultura hospitalar do Hospital das Forças Armadas, no contexto da cultura organizacional, e a aplicabilidade da cultura da qualidade na multiculturalidade hospitalar e na sua interação com a medicina enquanto arte. É, pelo referido, propósito desta investigação perceber a forma como se interligam (ou podem interligar-se) os conceitos da qualidade, produtividade, competitividade e cultura. Para este fim, recorreu-se a uma metodologia hipotético-dedutiva, alicerçada numa estratégia de investigação quantitativa com reforço qualitativo. Da discussão dos resultados, concluiu-se que a cultura da qualidade pode coexistir no ambiente multicultural do HFAR-PL, que essa coexistência traz benefícios para os doentes e profissionais e que poderá ser um instrumento importante para melhorar de forma significativa a produtividade e competitividade hospitalares, tornando o hospital mais atrativo para os doentes e mais capaz para cativar os profissionais.

Palavras-chave

Qualidade em Saúde, Produtividade, Competitividade, Cultura da Qualidade.

Autor(es) (*)

Avatar Cristina Paula de Almeida Fachada
Avatar João Carlos Santana Mairos
Avatar Vítor Manuel Meireles dos Santos
 249 | 36
Motivação e Turnover dos Médicos Militares das Forças Armadas

Resumo

Nas últimas décadas tem-se assistido a um crescendo de políticas de restrição/contenção orçamental, nos contextos nacional e supranacional, logicamente repercutidas na área da Defesa e, em particular, na gestão das Forças Armadas, com natural reflexo na Saúde Militar. Se a conservação dos recursos humanos numa qualquer Instituição deve ser uma das suas principais preocupações, se não mesmo a principal, mais ainda o deve ser na atual conjuntura e quando se tratam de efetivos com um elevado grau de especialização. Este estudo analisa o turnover dos Médicos Militares dos Quadros Permanentes das Forças Armadas Portuguesas, tendo por base uma amostra de 110 efetivos dos três Ramos, na efetividade de serviço e com postos de Segundo-tenente/Tenente a Capitão-de-fragata/Tenente-coronel. Dos resultados obtidos, concluiu-se que o turnover aumentou no último quadriénio (2014-2017), e que a intenção de turnover apresenta uma correlação significativamente forte e negativa com a motivação para a organização do trabalho. Concluiu-se, também, que o compromisso (psicológico) que liga os Médicos Militares às Forças Armadas é primariamente afetivo, de identificação com a Instituição. Neste seguimento, foram elencadas várias medidas, concretas e objetivas, potencialmente catalisadoras da retenção destes high-value assets no contexto castrense.

Palavras-chave

Compromisso Organizacional, Motivação no Trabalho, Turnover, Intenção de Turnover, Médicos Militares.

Autor(es) (*)

Avatar Célia Maria Gonçalves Matos Braga
Avatar Cristina Paula de Almeida Fachada
 240 | 34
"Third Location Decompression" como Contributo para a Reintegração dos Militares após Missão em Força Nacional Destacada - Custos e Benefícios da sua Implementação pelas Forças Armadas Portuguesas

Resumo

Atualmente as Forças Armadas (FFAA) atuam em Teatros de Operações caracterizados por um novo paradigma de conflitualidade e por um elevado grau de imprevisibilidade e perigosidade. Esta realidade motivou uma alteração de postura, nomeadamente no que se refere ao “uso da força”. Estas alterações resultaram num maior impacto psicológico nos militares, sendo referido por diversos autores que a necessidade de apoio psicológico tem evoluído proporcionalmente à evolução do risco inerente à missão. Neste sentido, o presente estudo pretende analisar o programa de descompressão denominado “Third Location Decompression”, procurando identificar contributos para a sua implementação pelas FFAA Portuguesas, através da avaliação dos custos e benefícios, assim como das suas mais-valias na facilitação do processo de reintegração dos militares após missão. Para tal, recorreu-se a uma metodologia de raciocínio indutivo, assente numa estratégia de investigação quantitativa com um reforço qualitativo, substanciada num estudo de caso como desenho de pesquisa. A pesquisa efetuada permitiu concluir que a necessidade de apoio tem evoluído proporcionalmente à evolução do risco inerente à missão, e que, face às novas exigências operacionais onde os militares portugueses têm sido empenhados, a relação custo-benefício é favorável à implementação do programa de descompressão pelas FFAA Portuguesas.

Palavras-chave

Descompressão, Third Location Decompression, Missão, Força Nacional Destacada.

Autor(es) (*)

Avatar Cristina Paula de Almeida Fachada
Avatar Elisabete Maria Rodrigues da Silva
 254 | 41

(*) NOTA: A ordem alfabética de apresentação dos autores pode não corresponder à ordem formal que se encontra no artigo.