Revista de Ciências Militares - Vol. V, N.º 1

Editorial

Com a edição deste nono número da Revista de Ciências Militares (RCM), o Instituto Universitário Militar (IUM) dá continuidade ao trabalho de investigação que tem sido desenvolvido no âmbito da segurança e defesa, encerrando mais um ciclo, semestral, de produção e divulgação, nacional e internacional.

Ancorada num Conselho Editorial e num leque de Revisores Científicos com notoriedade, o presente número da RCM elenca um conjunto de trabalhos, adstritos a docentes e investigadores, nacionais e estrangeiros, do IUM e de outras instituições de ensino superior universitário militar e civil, centrados em cinco áreas nucleares das Ciências Militares: Estudo das Crises e dos Conflitos Armados; Operações Militares; Técnicas e Tecnologias Militares; Comportamento Humano e Saúde em Contexto Militar; Estudos de Segurança Interna e dos Fenómenos Criminais.

De forma específica, este Número 1 do Volume V da RCM integra um total de 10 estudos, dos quais oito são artigos científicos e dois são recensões de obras literárias percecionadas como referências no âmbito das Ciências Militares. Os artigos científicos equacionam, por esta ordem, as seguintes temáticas:

− Pensando o futuro ao nível da influência do Naval War College na conceção de navios de guerra, da autoria do Coronel Nuno Neves, do Exército Português;

− Relação entre o terrorismo e a guerra cibernética no contexto da guerra de informação, da responsabilidade do Major Dardano Mota, do Exército Brasileiro;

− Dinâmicas indiretas da Guerra Fria nas possessões ultramarinas de Angola e Moçambique, da responsabilidade do Major João Correia, do Exército Português;

− Defesa contra mísseis balísticos: uma capacidade multidimensional, pela mão do Coronel Fernando Leitão, da Força Aérea Portuguesa;

− Aplicação do conceito modular à guarnição de um Navio Polivalente Logístico, da lavra da Capitão-Tenente Marina Ferreira, da Marinha Portuguesa;

− Acidentes com aeronaves na Força Aérea Portuguesa – Evolução da eficácia da prevenção e caraterização de causas, pela escrita do Major Bruno Marado, da Força Aérea Portuguesa;

− Reestruturação do plano de estudos do mestrado integrado em administração militar e a pertença à ordem dos Contabilistas Certificados, pela ação da Professora Doutora Manuela Sarmento e do Tenente Fernando Borda d’Água, ligados à Academia Militar e à Universidade Lusíada;

 − Securitização na Tríplice Fronteira Brasil-Colômbia-Peru e o papel do Exército Brasileiro na Região, a cargo dos Major Luís Ferreira, Major André Nascimento e Professor Doutor Tássio Franchi, adstritos ao Exército Brasileiro.

Por seu lado, as recensões – da autoria, respetivamente, dos MAJ Luís Batista e MAJ João Albuquerque – versam as obras: Crescent of Crisis U.S. – European Strategy for the Greater Middle, de Ivo Daalder, Nicole Gnesotto e Philip Gordon (2006); e The Echo of Battle: The Army’s Way of War, de Brian McAllister Linn (2007).

A todos os leitores, votos de uma proveitosa leitura.

Vice-almirante Edgar Marcos de Bastos Ribeiro

Comandante do IUM

Artigos

Pensando o futuro. A influência do Naval War College na conceção de navios de guerra

Resumo

O objetivo deste artigo é avaliar se a prática original e inovadora da Marinha dos Estudos Unidos de utilizar o Naval War College, os seus professores e alunos, como um “Think Tank” para auxiliar a definir o rumo para o desenvolvimento de novos navios teve vantagens e se constitui uma possível referência para a cooperação entre instituições académicas militares e os órgãos superiores ao nível da defesa nacional.

Palavras-chave

Naval War College, Think Tank, Jogos de guerra, Navios de guerra, Inovação.

Autor(es) (*)

Avatar Nuno Correia Neves
 307 | 43
Uma conceção da relação entre o terrorismo e a guerra cibernética no contexto da guerra de informação

Resumo

O presente artigo pretende apresentar uma análise sobre a possível relação entre o Terrorismo e a Guerra Cibernética no contexto da Guerra de Informação. Para atingir o objetivo proposto, o desenvolvimento do presente trabalho encontra-se subdividido nas seguintes secções: considerações preliminares; a Guerra de Informação (GI) com seus principais conceitos; a Guerra Cibernética (GC) onde serão detalhados os aspetos que a relacionam com a GI; um overview do Terrorismo moderno; considerações integradoras do artigo (estado da arte); e, por fim, uma proposta de como estaria estruturada a relação do Terrorismo com a GC no contexto da GI. O artigo apresenta conceitos básicos relacionados ao Terrorismo, à Guerra Cibernética e à Guerra de Informação, objetivando facilitar o entendimento da análise desenvolvida. Isso posto, empregam-se a pesquisa bibliográfica e documental, priorizando os estudos relacionados ao assunto proposto. A partir da constatação do relacionamento entre o Terrorismo e a Guerra Cibernética, é analisada a materialidade do Ciberterrorismo como um importante aspeto desse relacionamento, utilizando-se do Raciocínio Dedutivo como ferramenta. Por fim, o presente artigo buscou encontrar conclusões quanto a isso, apontando, dentre elas, para a futura estruturação de um Comando de Guerra de Informação.

Palavras-chave

Guerra de Informação, Terrorismo, Guerra Cibernética, Ciberterrorismo.

Autor(es) (*)

Avatar Dardano do Nascimento Mota
 304 | 41
As dinâmicas indiretas da Guerra Fria nas possessões ultramarinas de Angola e Moçambique

Resumo

Este artigo pretende demonstrar que a persistência de Portugal em manter as suas possessões ultramarinas de Angola e Moçambique, levou à adoção uma abordagem indireta das grandes potências e, consequentemente, a uma intensificação da Guerra Fria na África Austral. Recorrendo a um raciocínio dedutivo e a uma estratégia de investigação qualitativa, conclui-se, em primeiro lugar, que a Guerra Fria foi uma evidência na África Austral a partir da década de 1960 e, em segundo lugar, que esta presença se materializou através de abordagem indireta e ao nível dos instrumentos: económico, militar, político e diplomático.

Palavras-chave

Guerra Fria, Africa Austral, Estratégia Indireta.

Autor(es) (*)

Avatar João Manuel Pinto Correia
 317 | 41
Defesa contra mísseis balísticos: uma capacidade multidimensional

Resumo

Quando no final do século passado tudo levava a crer que os mísseis balísticos perderiam relevância, a proliferação de estados pária e da tecnologia associada à produção e desenvolvimento de mísseis balísticos, garantem a atualidade deste tema. Assim, este trabalho caracteriza a ameaça e analisa a defesa contra mísseis balísticos nas suas diferentes vertentes, desde a sua génese até ao caminho atualmente apontado pela NATO e pelos EUA, quer ao nível político quer no domínio militar, tendo em conta a problemática associada à gestão das interceções e à integração de esforços e capacidades.

Palavras-chave

Mísseis, balístico, defesa, interceção.

Autor(es) (*)

Avatar Fernando Pereira Leitão
 286 | 36
Aplicação do conceito modular à guarnição de um navio polivalente logístico

Resumo

O Navio Polivalente Logístico é um meio que pode integrar diversas capacidades e ser empregue em cenários com diferentes exigências, o que poderá originar a necessidade de uma guarnição com dimensões consideráveis e consequentemente maiores esforços de carácter logístico e de adaptação e coordenação das atividades a bordo. No sentido de encontrar um compromisso entre a redução da guarnição deste navio, não descurando, no entanto, o cumprimento das missões, foi analisada a aplicação do conceito modular à sua guarnição, considerando para isso a tipologia de missões que poderão ser atribuídas, o seu conceito de emprego e requisitos operacionais. Como termo de comparação foi analisada a guarnição de navios similares de outras marinhas, permitindo a identificação da sua guarnição base, para uma navegação em segurança, e os diferentes módulos, sua constituição e organização, que poderão embarcar consoante a missão. A metodologia seguida foi assente numa estratégia qualitativa com recurso ao método indutivo. O desenho da pesquisa foi o estudo de caso e as técnicas de recolha de dados por análise documental e entrevistas não estruturadas com especialistas na matéria. Com a aplicação do conceito modular, adapta-se a necessidade de pessoal em cada tipo de missão, reduzindo os recursos humanos e consequentemente a complexidade associada.

Palavras-chave

Navio Polivalente Logístico, Guarnição, Conceito Modular, Projeção de Força.

Autor(es) (*)

Avatar Marina Colaço Ferreira
 289 | 41
Acidentes com aeronaves na Força Aérea Portuguesa – evolução da eficácia da prevenção e caraterização de causas

Resumo

A Força Aérea Portuguesa (FAP) tem colocado grande empenho na prevenção de acidentes, mas terá conseguido uma redução significativa de acidentes com destruição de aeronave? O número de acidentes, por cada 10.000 horas de voo (HV), será semelhante ao de outras Forças Aéreas? Quais as causas destes acidentes? Esta investigação centrou- -se em torno da questão “Quais as causas dos acidentes com perda de aeronave, e em que medida tem sido eficaz a prevenção destes acidentes na FAP, em termos absolutos e comparativamente com outros operadores de referência?”. O campo de observação abrangeu a FAP e as Forças Aéreas Espanhola, Belga e Suíça. O período temporal analisado foi de 30 anos no caso da FAP e de 20 nas restantes Forças Aéreas. Nesta investigação conclui-se que embora na globalidade das ocorrências (incidentes e acidentes) na FAP, o fator humano contribua com um peso de 41%, verifica-se que no caso específico dos acidentes com perda de aeronave, os fatores humanos têm um peso de 60%. As causas dos acidentes com perda de aeronave têm sido combatidas eficazmente, resultando na diminuição nos últimos 30 anos do número de acidentes com perda de aeronave, por 10.000 HV, estando hoje a FAP, num nível de paridade (em número de acidentes por 10.000 HV) com Forças Aéreas de referência da Europa, nomeadamente as Forças Aéreas de Espanha e Bélgica (e melhor que a Suiça).

Palavras-chave

Acidentes com Aeronaves, Segurança de Voo, Prevenção de Acidentes, Perda de Aeronave.

Autor(es) (*)

Avatar Bruno Sertório Dias Marado
 278 | 42
Reestruturação do plano de estudos do mestrado integrado em administração militar e a pertença à ordem dos contabilistas certificados

Resumo

O presente artigo perspetiva a necessidade de oficiais de Administração Militar pertencerem à Ordem dos Contabilistas Certificados1 , de modo a alcançarem a eficiência e eficácia dos processos de apoio financeiro, atendendo a que o curriculum do mestrado em Administração Militar não permite o acesso direto à Ordem dos Contabilistas Certificados. Desta forma, são analisadas as decisões a tomar, para fazer face às necessidades de oficiais com profundos conhecimentos financeiros no Exército. A metodologia utilizada baseia-se nas fases exploratória, analítica e conclusiva, e os dados que sustentam a investigação foram obtidos através da realização de uma pesquisa bibliográfica, bem como através da aplicação de entrevistas e inquéritos. Conclui-se que as alterações ao plano de estudos do Mestrado Integrado em Administração Militar é uma mais-valia no âmbito pessoal, institucional e no reconhecimento por parte da sociedade civil, tendo sido propostos cenários para a realização das alterações. Em suma, a existência de Contabilistas Certificados no Exército, apresenta-se como uma necessidade e mais-valia para o Exército em geral, e para o serviço de Administração Militar em particular.

Palavras-chave

Plano de formação, Mudança; Administração Militar, Contabilistas Certificados.

Autor(es) (*)

Avatar Fernando Heitor da Silva Borda D’Água
Avatar Maria Manuela Martins Saraiva Sarmento Coelho
 315 | 45
A securitização na tríplice-fronteira Brasil-Colômbia-Peru e o papel do Exército brasileiro na região

Resumo

A partir do contexto do pós-Guerra Fria, os Estudos de Segurança Internacional, desenvolvidas pela Escola de Copenhague, ampliaram o escopo das ameaças e o debate em torno do conceito de securitização. A securitização, entendida como um ‘ato de fala’, é onde determinados setores constroem ameaças à existência de uma unidade, demandando a adoção de medidas para contrabalançá-las. Este artigo observou, alicerçado neste referencial teórico, duas questões inter-relacionados. Primeiro a presença do discurso securitizador nos documentos que norteiam a Defesa Nacional em três países: Brasil, Colômbia e Peru (Políticas e Estratégias Nacionais de Defesa e Livros Brancos de Defesa Nacional). Em seguida, ações de securitização no Trapézio Amazónico, nome pelo qual é conhecida a região da tríplice-fronteira, em especial aquelas que tem como ator principal as organizações militares de cada uma destas nações. Neste enquadramento, o presente artigo permite perceber o alinhamento entre o discurso oficial destes Estados e a prática de securitização dos três países em uma área sensível da Amazónia.

Palavras-chave

Amazónia, Securitização, Tríplice-Fronteira, Exército Brasileiro.

Autor(es) (*)

Avatar André Luiz do Nascimento Cabral
Avatar Luís Fernando Tavares Ferreira
Avatar Tássio Franchi
 330 | 38

(*) NOTA: A ordem alfabética de apresentação dos autores pode não corresponder à ordem formal que se encontra no artigo.