Revista de Ciências Militares - Vol. XII, N.º 1

Editorial

Com a edição do presente número da Revista de Ciências Militares (RCM), e da correspondente versão em inglês, Portuguese Journal of Military Sciences, o Instituto Universitário Militar (IUM) prossegue com a divulgação da investigação na área das Ciências Militares.

Nesta edição, temos a honra de apresentar seis estudos multidisciplinares que abordam assuntos militares em termos amplos, veiculados ou relevantes para a profissão militar. Este número é exemplar no escopo alargado que caracteriza a nossa Revista que contempla estudos tanto de gestão de recursos humanos, como de geopolítica e até de inovação tecnológica.

O primeiro estudo examina o impacto das recompensas não financeiras nas atitudes e comportamentos dos militares e trabalhadores civis, especialmente em relação à lealdade, saída, voz e negligência. Os resultados, decorrentes da análise a 348 questionários aplicados na Força Aérea Portuguesa, destacam a importância das recompensas não financeiras na gestão de recursos humanos, sugerindo que estas podem influenciar significativamente a retenção e a motivação dos funcionários.

O segundo artigo investiga a presença militar da China e da Rússia na bacia do Atlântico no século XXI, analisando as implicações geopolíticas dessa movimentação. Utilizando uma abordagem qualitativa e um estudo de caso, os autores concluem que ambas as nações estão a intensificar a sua influência militar nesta região, tradicionalmente dominada pelos Estados Unidos e pela União Europeia, o que pode levar a uma maior disputa geopolítica.

O terceiro estudo analisa a cultura de inovação no Exército Brasileiro e na Marinha do Brasil, e como esta influencia o desenvolvimento do Rádio Definido por Software de Defesa (RDS-Defesa). Através de entrevistas e análise de conteúdo, os resultados mostram que, embora a cultura de inovação impulsione certos aspetos do processo de inovação, ela também pode retardar o progresso devido a elementos culturais inibidores.

O quarto estudo utiliza a Batalha de 73 Easting, durante a Guerra do Golfo, como caso de estudo para explorar a relação entre treino, tecnologia e fricção no combate blindado. A pesquisa histórica e a análise revelam que tanto o treino como a tecnologia desempenharam papéis cruciais na vitória norte-americana, com a tecnologia a destacar-se na melhoria das informações e o treino a influenciar diretamente os indivíduos.

O quinto artigo foca-se nas invasões da Geórgia em 2008 e da Crimeia em 2014 pela Rússia, explorando o uso de operações de informação para preparar o terreno para ações militares convencionais. Através de uma análise documental qualitativa, os autores demonstram como a Rússia utilizou campanhas de informação para influenciar populações locais, desmoralizar forças adversárias e legitimar as suas ações militares.

O último artigo desta edição aborda a crescente importância do Espaço nas operações aéreas portuguesas, destacando o potencial da observação da Terra via satélites para aumentar a eficiência e eficácia das missões da Força Aérea. Com base em seis estudos de caso, a pesquisa identifica como a integração de produtos espaciais pode melhorar a consciência situacional e apoiar a tomada de decisões estratégicas.

Cada um destes estudos contribui significativamente para o entendimento das complexas questões enfrentadas pelas Forças Armadas modernas. Esperamos que os leitores encontrem nestes artigos inspiração e conhecimento para melhor se prepararem para enfrentar os desafios atuais e futuros.

O Comandante do IUM
Hermínio Teodoro Maio
Tenente-General

Artigos

O Impacto das Recompensas não Financeiras nas Estratégias Comportamentais, no Contexto da Força Aérea Portuguesa

Resumo

Devido a dificuldades de recrutamento resultantes de restrições orçamentais, bem como à contínua saída de militares e trabalhadores civis, as instituições militares, incluindo a Força Aérea Portuguesa, enfrentam o desafio de criar políticas de recursos humanos que aumentem a motivação e a retenção dos que se encontram na instituição. Este estudo procurou analisar a influência das recompensas não financeiras no silêncio, na saída, na voz e na negligência, mediada pela lealdade, por forma a fornecer um elemento de apoio à Força Aérea Portuguesa, no sentido de ajustar as suas políticas de recursos humanos aos seus objetivos estratégicos. Para o efeito, foi enviado um questionário eletrónico a 3.709 militares e trabalhadores civis, tendo sido recebidos 348 questionários válidos. Os resultados estatísticos demonstraram a existência de unidimensionalidade das recompensas não financeiras e sugeriram que as recompensas não financeiras, como prática de gestão de recursos humanos, influenciam as estratégias comportamentais, nomeadamente a lealdade, a saída, a voz e a negligência. Os resultados sugeriram, ainda, que a lealdade medeia a relação entre as recompensas não financeiras e a saída e entre as recompensas não financeiras e o silêncio de adesão. As implicações desses resultados foram discutidas.

Palavras-chave

Estratégias Comportamentais; Força Aérea Portuguesa; Modelo EVLN; Recompensas Não Financeiras; Silêncio.

Autor(es) (*)

Avatar José Luís Rocha Pereira do Nascimento
Avatar Mónica Solange de Jesus Pereira Martins
 57 | 57
O Atlântico como Espaço de Competição Geopolítica no Século XXI

Resumo

A importância do oceano mundial advém dos atributos significativos que tem para a humanidade. Os recursos que contém e a sua utilidade como fonte de poder e domínio estão entre os mais relevantes. Barry Buzan e Ole Wæver abordaram, no início deste século, a polaridade no pós-Guerra Fria e identificaram quatro grandes potências: a Rússia, por ter baixado do status de superpotência; a China, a União Europeia (UE) e o Japão, com base no facto de serem regularmente discutidos como potenciais adversários da superpotência – os Estados Unidos da América (EUA) – e/ou como potenciais superpotências. Seguindo um raciocínio indutivo e uma estratégia de investigação qualitativa, este artigo analisa, a partir de um estudo de caso, o posicionamento militar da China e da Rússia na bacia do Atlântico, no século XXI. As conclusões evidenciam que tanto a China quanto a Rússia estão a procurar reforçar a sua presença militar no oceano Atlântico, um espaço de tradicional influência dos EUA e da UE, devido a fatores políticos e económicos, o que poderá colocar em causa o status quo existente e levar ao aumento das disputas geopolíticas entre aqueles atores.

Palavras-chave

Oceano Atlântico; EUA; China; Rússia; UE; competição geopolítica.

Autor(es) (*)

Avatar António Manuel Gonçalves Alexandre
 41 | 41
A Influência da Cultura de Inovação no Desenvolvimento do Rádio Definido por Software no Setor da Defesa

Resumo

O objetivo da pesquisa foi identificar de que forma a cultura de inovação do Exército Brasileiro e da Marinha do Brasil influenciou o processo de inovação do Rádio Definido por Software de Defesa (RDS-Defesa). O RDS-Defesa é um programa promovido pelo Ministério da Defesa do Brasil e visa realizar o desenvolvimento de rádios para as comunicações táticas das Forças Armadas do Brasil. Nesse sentido, procurou analisar-se que elementos da cultura de inovação, do Exército Brasileiro e da Marinha do Brasil, estimularam ou dificultaram o processo de inovação do RDS-Defesa. O estudo tem caráter exploratório de cunho qualitativo, os dados foram recolhidos por meio de bibliografias, documentos e entrevistas semiestruturadas dirigidas ao universo de militares da equipa do RDS-Defesa. O tratamento dos dados foi realizado por meio da técnica análise de conteúdo. Os resultados demonstraram que a cultura de inovação das Forças Armadas do Brasil influencia os processos de inovação. Alguns elementos que compõem a cultura de inovação agiram no sentido de alavancar as inovações e outros acabam por inibir, nalguma medida, a velocidade do processo de inovação.

Palavras-chave

Cultura de Inovação; Inovação Militar; Brasil.

Autor(es) (*)

Avatar Antonio Fonfría Mesa
Avatar Carlos Eduardo Franco Azevedo
Avatar Gabriela Alves de Borba
 47 | 47
O Efeito do Treino e da Tecnologia na Fricção no Combate Blindado - Estudo de Caso da Batalha de 73 Easting

Resumo

O presente artigo tem como objetivo determinar se o treino e a tecnologia se relacionam, de forma direta ou inversa, com a fricção observada durante o combate blindado, utilizando a Batalha de 73 Easting, ocorrida no transcurso da Guerra do Golfo (1991), como caso de estudo. Para tal, foi realizada pesquisa histórica para descrever a batalha e utilizada a proposta de categorização da fricção proposta por Ferreira, Ramos e Franchi (2018). A metodologia empregue foi o estudo de caso único analítico, com análise qualitativa e quantitativa. Foi possível concluir que o treino e a tecnologia influenciaram diretamente fricção, desequilibrando o combate a favor dos norte-americanos, e que a tecnologia se revelou mais ligada à categoria “informações” da fricção, enquanto o treino teve mais consequências sobre a categoria “indivíduo”.

Palavras-chave

Blindados; Fricção; Clausewitz.

Autor(es) (*)

Avatar Bruno Lion Gomes Heck
Avatar Carlos Eduardo Franco Azevedo
 36 | 36
A Relação entre o Sucesso das Operações de Desinformação e o Conflito Armado: Estudo de Caso da Rússia no Século XXI

Resumo

A Rússia procurou, desde a queda da União Soviética, recuperar o poder de influência sobre os países que constituíam aquela união política por meio de ferramentas políticas, de informação, económicas, energéticas, étnicas e religiosas. Os dois casos em estudo neste trabalho, as invasões armadas da Geórgia em 2008 e da Crimeia em 2014, constituem-se únicos por serem territórios que a Rússia afirma fazerem parte da sua área de influência e sobre os quais utilizou meios militares convencionais para materializar esta reivindicação. A rápida execução militar e cumprimento dos objetivos militares e políticos não pode ser dissociada das restantes operações, ditas não convencionais. Assim procurámos neste trabalho abordar as operações no domínio da informação, o impacto que tiveram nos territórios em estudo e as consequências imediatamente após os conflitos. Foi possível aferir que as operações de informação tiveram impacto na preparação do terreno pelo convencimento das populações locais da justiça da narrativa russa, criação de organizações e grupos de cidadãos afetos às reivindicações russas, corrupção das estruturas políticas e sociais e desmoralização das forças de segurança e defesa adversárias.

Palavras-chave

Guerra de informação; Desinformação; Rússia; Crimeia; Geórgia

Autor(es) (*)

Avatar Ivane Gaspar Domingues
Avatar José Serra da Silva
Avatar Luís Filipe Xavier de Mendonça Dias
 48 | 48
Domínio "Espaço" e Observação da Terra, Competências e Estudos de Caso

Resumo

A crescente consciencialização e preocupação com o Espaço, bem como os compromissos e obrigações legais assumidos por Portugal, e consequentemente pela Força Aérea, concorrem simultaneamente para a necessidade premente de implementação do domínio Espaço nas operações aéreas. Considerando a ligação dos serviços e produtos do Espaço com as informações e as operações, esta investigação tem como objetivo identificar o potencial da observação da Terra a partir do Espaço (e as competências espaciais necessárias), através de sensores instalados em satélites, para acrescentar eficiência e eficácia às atividades desenvolvidas pela Força Aérea. Para alcançar esse objetivo, foi desenvolvida uma investigação assente na metodologia de Estudos de Caso na pesquisa e no desenho de seis estudos de caso com recurso a informação proveniente dos satélites, em que foi possível observar que a adoção destes produtos pode acrescentar informação essencial ao ciclo de planeamento das missões dos meios aéreos, proporcionando melhor consciência situacional, e contribuir para a identificação das competências organizacionais necessárias associadas ao Espaço. Concluiu-se que existe potencial para aumentar a capacidade de integração de produtos espaciais nas operações aéreas e obter maiores benefícios no apoio à decisão.

Palavras-chave

Força Aérea; Operações no Espaço; Operações Aéreas; Informações Espaciais; Competências Espaciais.

Autor(es) (*)

Avatar Carlos Jorge Ramos Páscoa
 44 | 44

(*) NOTA: A ordem alfabética de apresentação dos autores pode não corresponder à ordem formal que se encontra no artigo.