Revista de Ciências Militares - Vol. X, N.º 2

Editorial

Com a publicação deste 20.º número da Revista de Ciências Militares (RCM), e da sua versão em inglês, Portuguese Journal of Military Sciences, o Instituto Universitário Militar dá continuidade à sua política editorial de divulgação da ambiciosa investigação que é realizada ao nível das Ciências Militares.

O presente número da RCM inclui, assim, três artigos cuja elevada qualidade científica foi avaliada e confirmada, de forma similar ao sucedido nos números antecedentes, com recurso a um maduro e rigoroso processo de revisão que, analogamente, ao efetivado pelas revistas científicas (nacionais e internacionais) de comprovada notoriedade e referência, se inicia-se com a apreciação dos responsáveis editoriais da RCM, seguida pela revisão científica por pares em regime de duplo anonimato (double-blind peer review) e pela subsequente decisão última da direção editorial.

Primando sempre pela qualidade, independentemente de tal poder significar uma elevada taxa de atrição nos artigos que são submetidos à RCM, como sucedeu com a atual edição, são agora dados à estampa trabalhos atinentes de conhecimentos e evidências, que foram científica, metodológica e empiricamente validados. Assim publicamos:

  • Sobre a edificação de linhas de orientação para a consolidação do modelo de Ensino Superior Politécnico Militar em Portugal, no contexto da especificidade do Ensino Superior Militar e da legislação que lhe é aplicável, a pesquisa A consolidação do ensino superior politécnico militar em Portugal;
  • Relativo à avaliação da adequabilidade de alargar a metodologia preventiva de comportamentos aditivos aplicada na Força Aérea à sua expressão online (isto é, aos comportamentos aditivos online), a investigação Prevenção dos comportamentos aditivos online nas Forças Armadas portuguesas: o estudo de caso da Força Aérea;
  • No âmbito da cultura organizacional, um estudo comparativo entre os alunos do Curso em Ciências Militares Aeronáuticas e os alunos do Estágio Técnico Militar, ministrados pela Academia da Força Aérea, que averigua da existência de diferenças e a identificar “tipologias” dominantes, denominado Clima e cultura organizacionais na Academia da Força Aérea.

Apresentamos ainda o Código Ético de Publicação e Responsabilidades da RCM, que foi recentemente aprovado no IUM, com vista ao reforço do sistema integrado de qualidade, no quadro da produção e difusão de conhecimento. 

Felicito os autores pela pertinência e distinção das suas pesquisas e cumprimento os leitores da vasta audiência da Revista de Ciências Militares / Portuguese Journal of Military Sciences, a quem subscrevo votos de uma agradável e profícua leitura.

Tenente-general António Martins Pereira
Comandante do IUM

Artigos

A Consolidação do Ensino Superior Politécnico Militar em Portugal

Resumo

A exigência estatutária para os Sargentos terem o nível 5 de qualificação, segundo as regras do ensino superior, corresponde a uma mudança significativa de paradigma. Tendo sido atribuída à Unidade Politécnica Militar (UPM), em instalação até 2023, a missão de formar os Sargentos no âmbito do Ensino Superior Politécnico Militar, é objetivo deste estudo propor linhas de orientação para a sua consolidação, no contexto da especificidade do Ensino Superior Militar e da legislação que lhe é aplicável. Como metodologia adotouse um raciocínio hipotético-dedutivo, segundo uma estratégia mista e o estudo de caso como desenho de pesquisa. Os dados recolhidos em entrevistas semiestruturadas e revisão documental, evidenciam que o corpo docente da UPM, sendo adequado, não é estável, que a investigação não sendo nula, é incipiente, e que não há consenso quanto à necessidade ou propósito de a UPM ministrar licenciaturas, mesmo que a lei assim o exija. Concluiu-se ainda que para a UPM ser acreditada deverá estabilizar o seu corpo docente, fazer investigação orientada e ter licenciaturas na sua oferta educativa. Contudo, poderá escolher o prazo e o enquadramento legislativo que melhor se adequam à realidade das Forças Armadas e da Guarda Nacional Republicana e à crescente complexidade operacional.

Palavras-chave

Ensino Superior Militar; Ensino Superior Politécnico Militar; Formação dos Sargentos.

Autor(es) (*)

Avatar Nuno Alberto Rodrigues Santos Loureiro
Avatar Paulo Jorge Lopes da Silva
Avatar Rui Manuel de Jesus Romão
 87 | 42
Prevenção dos Comportamentos Aditivos Online nas Forças Armadas Portuguesas: O Estudo de Caso da Força Aérea

Resumo

A Internet acarreta potenciais perigos, como o estabelecimento de padrões de utilização próximos de quadros aditivos. Considerando o impacto negativo dos comportamentos aditivos em contexto militar, é fundamental conhecer a sua realidade concernente aos comportamentos aditivos online (CAO). Este estudo teve, assim, por objetivo avaliar a adequabilidade de alargar a metodologia preventiva de comportamentos aditivos aplicada na Força Aérea (FA) à sua expressão online, analisando as metodologias preventivas de CAO e os comportamentos aditivos na FA. Alicerçado numa metodologia de raciocínio indutivo, baseado numa estratégia de investigação quantitativa com reforço qualitativo e num desenho de estudo de caso, os dados foram recolhidos através de análise documental, análise de conteúdo de entrevistas semiestruturadas a oito entidades intervenientes na prevenção de comportamentos aditivos em meio castrense, e análise estatística das respostas de 766 militares (12,97% do universo) a um questionário caracterizador de comportamentos online e associado nível de adição. Dos resultados, concluiu-se que na FA existem pontuais ações preventivas de CAO e na amostra estudada uma prevalência de 0,3% de adição severa à Internet e 27% de adição ligeira e moderada, afigurando-se desejável a prevenção de CAO na FA e propondo-se um modelo de intervenção desenhado “à medida” da avaliação realizada.

Palavras-chave

Comportamentos aditivos online; Forças Armadas; Prevenção dos comportamentos aditivos online.

Autor(es) (*)

Avatar Cristina Paula de Almeida Fachada
Avatar Daniela Patrícia Monteiro Freixo e Silva
 58 | 36
Clima Organizacional e Cultura Organizacional na Academia da Força Aérea

Resumo

Analisar variáveis de interesse para os decisores organizacionais, como sejam o clima e a cultura, traduz-se em maior capacidade de compreensão e otimização de situações que impactam sobre os resultados organizacionais. Esta investigação teve, então, por objetivo estudar o clima e cultura organizacionais dos alunos do Curso em Ciências Militares Aeronáuticas (CCMA)2 e do Estágio Técnico Militar (ETM) ministrados pela Academia da Força Aérea (AFA), por forma a averiguar a existência de diferenças e a identificar “tipologias” dominantes. Para tal, foi analisada uma amostra de 244 alunos (90% da população), com recurso aos instrumentos Organizational Climate Measure (OCM) e Organizational Culture Assessment Instrument (OCAI). Dos resultados obtidos, concluiu-se que existem diferenças significativas entre o CCMA e o ETM nos modelos de relações humanas e de cultura hierárquica, e entre o 1.º ano e os restantes anos do CCMA em praticamente todos os modelos estudados (excetuando o dos processos internos). Concluiu-se, igualmente, que, à parte do 1.º ano, apenas não existem diferenças em relação aos modelos de processos internos e cultura de mercado. As evidências encontradas permitiram, ainda, constatar que o clima e a cultura dominantes caracterizam-se pelos modelos de processos internos (cultura hierárquica) e objetivos racionais (cultura de mercado).

Palavras-chave

Clima Organizacional; Cultura Organizacional; Modelo dos Valores Contrastantes.

Autor(es) (*)

Avatar Ana Patrícia Correia Gomes
Avatar Cristina Paula de Almeida Fachada
Avatar Sandro Avelino Toste Paim
 65 | 37

(*) NOTA: A ordem alfabética de apresentação dos autores pode não corresponder à ordem formal que se encontra no artigo.