Regulamento da Biblioteca

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DOCUMENTAL

Política de acesso e de divulgação da informação

1 - Têm acesso à Biblioteca, a título ordinário, os docentes, discentes, investigadores e funcionários não docentes do IUM, sendo considerados utilizadores internos.

2 - Podem ainda ser admitidas à frequência da Biblioteca outras pessoas devidamente autorizadas pela Direção, com conhecimento do(a) Diretor(a) do CRC, sendo considerados utilizadores externos.

3 - No decurso de atividades a decorrer no espaço da Biblioteca, as condições de acesso são definidas na planificação da atividade.

4 - Condições de Acesso:

O material livro encontra-se em depósito, sendo o acesso efetuado mediante requisição junto da zona de acolhimento;

Os periódicos encontram-se em livre acesso na zona de leitura informal;

A consulta de material informático, multimédia, audiovisual e material não-livro far-se-á mediante requisição na zona de acolhimento;

Os computadores encontram-se em livre acesso na Mediateca;

O utilizador é responsável por qualquer dano, que não resulte do uso normal, dos equipamentos/ documentos / suportes de informação, enquanto estiverem em seu poder;

Os utilizadores devem chamar a atenção da equipa da Biblioteca para os estragos que encontrem em qualquer documento ou equipamento;

Os utilizadores não devem colocar documentos abertos uns sobre os outros, escrever sobre os livros, escrever notas marginais, sublinhar, ou fazer qualquer sinal ou marca;

Deve ser utilizado apenas lápis, durante toda a permanência numa sala de leitura;

A sala de leitura é fundamentalmente para trabalho pessoal, devendo os seus utilizadores manter um ambiente de silêncio e tranquilidade;

Por razões de segurança e de preservação das espécies não é permitida aos utilizadores a entrada na biblioteca com:

Sacos, malas, embrulhos, guarda-chuvas;

Alimentos ou bebidas;

É permitida a entrada de computadores pessoais. A biblioteca não se responsabiliza, no entanto, por eventuais danos que possam vir a ocorrer nos equipamentos durante a sua ligação às redes elétrica e de dados. A Biblioteca não faculta, em qualquer circunstância, serviço de apoio técnico para o funcionamento dos equipamentos dos utilizadores;

Não é permitida a utilização em modo sonoro de aparelhos de comunicação, designadamente telemóveis ou equipamentos áudio pessoais.

5 - Direitos dos utilizadores. Todos os utilizadores têm direito:

Ao acesso a todos os recursos de informação disponíveis na Biblioteca;

Apresentar sugestões relativas ao funcionamento da Biblioteca;

Usufruir de todos os serviços prestados pela Biblioteca e constantes neste regulamento;

Dispor de um ambiente calmo e agradável nas várias zonas funcionais.

6 - Deveres dos utilizadores. Todos os utilizadores têm o dever de:

Cumprir as normas estabelecidas neste Regulamento;

Manter em bom estado de conservação as espécies documentais que lhes são facultadas, ou a repô-las em caso de perda ou dano;

Cumprir os prazos estipulados para a devolução dos livros requisitados para leitura domiciliária;

Contribuir para a manutenção de um bom ambiente nas várias zonas funcionais;

Manter o silêncio na zona destinada a leitura e trabalho individual e trabalhar com o mínimo ruído possível nas restantes zonas;

Não usar telemóvel ou qualquer outro equipamento que provoque ruído ou perturbação;

Não alterar o posicionamento do equipamento e do fundo documental.

 

NORMAS DE UTILIZAÇÃO

Serviços prestados pela Biblioteca

1 - A biblioteca presta os seguintes serviços:

Serviço de leitura presencial;

Serviço de referência e pesquisa;

Serviço de empréstimo: domiciliário e inter-bibliotecas;

Serviço de formação de utilizadores.

2 - Para cada um destes serviços estão estipuladas normas de utilização nos artigos seguintes.

Serviço de leitura presencial

1 - Entende-se por leitura presencial, aquela que é efetuada exclusivamente nas salas de leitura no horário de funcionamento da biblioteca.

2 - Os utilizadores usam a zona destinada à leitura presencial para consulta de documentos impressos e realização de trabalhos.

3 - A consulta dos documentos é efetuada mediante requisição na zona de acolhimento.

4 - Após a consulta do documento o utilizador deverá devolvê-lo na zona de acolhimento.

Equipamento informático, multimédia e audiovisual

1 - A leitura presencial inclui a utilização do equipamento informático, multimédia e audiovisual pertencente à Mediateca.

2 - A utilização do equipamento informático existente na Mediateca é efetuada em livre acesso.

3 - O acesso aos documentos eletrónicos multimédia e audiovisuais existentes na Mediateca é efetuado através de requisição na zona de acolhimento.

Utilização dos equipamentos

1 - No acesso à internet a responsabilidade na consulta de qualquer sítio/página é inteiramente do utilizador.

2 - A utilização dos equipamentos deve sempre respeitar o bom funcionamento dos mesmos, estando os utilizadores vedados da prática de qualquer ato que possa danificar, desconfigurar ou dificultar a futura utilização. Assim, fica expressamente proibido:

A instalação de qualquer software nos computadores;

O acesso e a alteração às configurações base dos sistemas operativos dos computadores ou do software de aplicação neles presente;

A movimentação de qualquer peça de hardware (nomeadamente monitores) sem a prévia autorização por parte de um membro da equipa da Biblioteca.

3 - A utilização dos equipamentos não deverá servir para a prática de qualquer ato ilícito. Assim, fica expressamente proibido:

O “download” e/ou o “upload” de qualquer programa, documento, música, filme, ou outro ficheiro que esteja protegido por direitos de autor;

A utilização da Internet para atividades de “cracking” e/ou “LAN Jacking”, na forma tentada ou consumada;

É expressamente proibida a consulta de sites com conteúdos de ordem pornográfica, racista, xenófoba, violenta, fraudulenta, difamatórios ou outros que sejam ilícitos ou atentatórios da moral vigente;

4 - Qualquer anomalia detetada no início da utilização deve ser comunicada de imediato à equipa da Biblioteca. O utilizador, que não cumprir este ponto, poderá vir a ser responsabilizado e penalizado por essa anomalia.

5 - É permitido aos utilizadores ligarem e utilizarem dispositivos de memória amovíveis (PENs), desde que respeitado o disposto em todos os pontos anteriores deste artigo.

Serviço de referência e pesquisa

1 - A equipa da biblioteca estará à disposição dos utilizadores para os orientar nas pesquisas de informação, na organização e na normalização da apresentação da informação recuperada.

2 - O serviço de referência e pesquisa compreende a prestação de informação e orientação necessárias aos utilizadores para uma boa utilização do fundo documental e recursos de informação locais ou à distância.

3 - Este serviço pode ser solicitado presencialmente, por correio eletrónico ou por telefone.

Serviço de empréstimo

1 - O empréstimo de publicações é facultado individualmente a cada utilizador para a leitura domiciliária,

2 - O empréstimo pode igualmente ser facultado a instituições, em regime de empréstimo inter-bibliotecas.

Leitura domiciliária

1 - Por leitura domiciliária entende-se a cedência de bibliografia, a título de empréstimo, para consulta em espaços não pertencentes à Biblioteca.

2 - Poderão ser requisitados até cinco documentos de cada vez por um período de dez dias úteis que poderá ser renovável.

3 - A renovação do prazo de empréstimo deve ser solicitada pessoalmente, por e-mail ou por telefone, preferencialmente até dois dias antes do termos do prazo do empréstimo e poderá ser concedida até duas vezes consecutivas.

4 - Um utilizador não pode requisitar mais nenhum livro / documento se ainda tiver em sua posse outro(s) que já tenha ultrapassado o prazo de entrega.

5 - Sempre que o utilizador pretender um documento que se encontre requisitado, em regime de leitura domiciliária, pode solicitar que seja efetuada a sua reserva.

6 - O utilizador inscrito em lista de espera para a requisição domiciliária, será avisado logo que o documento se encontre disponível, devendo no prazo de 24 h proceder ao seu levantamento, sob pena de, se assim não o fizer, o mesmo ser cedido ao utilizador que se segue na lista de espera.

7 - Não estão incluídas no regime normal de empréstimo: obras de referência (dicionários, enciclopédias, diretórios) e obras em mau estado.

8 - Caso se verifique sistematicamente o não cumprimento dos prazos de devolução, os serviços podem cancelar temporariamente o direito à requisição domiciliária.

9 - O requisitante é o único responsável pelo documento, ficando obrigado a substituí-lo, em caso de perda ou dano.

10 - Não são permitidas requisições domiciliárias de livros, nos dez dias que antecedem o final dos cursos.

Empréstimo inter-bibliotecas (EIB) para os utilizadores da Biblioteca

1-O empréstimo inter-bibliotecas (EIB) compreende o acesso a documentos que não se encontram no acervo bibliográfico da biblioteca do IESM, através do recurso a outras bibliotecas e centros de documentação nacionais ou estrangeiros.

2-Este serviço destina- se exclusivamente aos utilizadores internos do IESM.

3-Os pedidos devem ser formulados por escrito em impresso destinado para o efeito, disponível na biblioteca ou na página do IESM, ficando o requisitante responsável pela integridade da obra e pela sua devolução dentro do prazo de empréstimo.

Empréstimo inter-bibliotecas (EIB) a outras instituições

1 - O empréstimo de documentos da Biblioteca do IUM em regime de EIB obedece às seguintes condições:

Não podem ser requisitados pelo serviço de EIB os trabalhos de investigação dos discentes ou outro tipo de literatura cinzenta;

O prazo de empréstimo é de quatro semanas, incluindo o tempo de transporte, podendo, em casos excecionais, ser prorrogado por mais duas semanas;

As entidades requisitantes são responsáveis pela integridade da obra;

A Biblioteca do IUM reserva-se o direito de não proceder ao EIB nos casos em que os interesses dos seus utilizadores possam vir a ser prejudicados, ou em que as entidades requisitantes não cumpram o presente Regulamento;

O serviço de empréstimo inter-bibliotecas pressupõe o pagamento de uma taxa única, independentemente do tipo de publicação a enviar, cujo valor se encontra no anexo ao presente Regulamento;

O pagamento poderá ser feito em vouchers da International Federation of Library Associations (IFLA) ou por transferência bancária.

Serviço de Formação

1 - A Biblioteca do IUM desenvolve anualmente ações de formação e divulgação, destinadas aos seus utilizadores, sobre os serviços e recursos que dispõe, sendo o seu calendário divulgado no início de cada ano letivo.

2 - Poderão ser efetuadas ações de formação extraordinárias, no âmbito da prática letiva, por solicitação dos docentes do IUM.

3 - Estas ações destinam-se apenas aos utilizadores internos do IUM.

Reprodução de documentos

1 - Na reprodução de documentos existentes na Biblioteca é obrigatória a observância do Código de Direitos de Autor e dos Direitos Conexos, bem como qualquer outra legislação aplicável.

2 - É da responsabilidade dos utilizadores da Biblioteca do CRC, a observância das disposições do Código de Direitos de Autor e dos Direitos Conexos, no que respeita à utilização de reproduções, de qualquer tipo de obras que não se encontrem no domínio público.

3 - Não é permitida a reprodução de obras que se encontrem em mau estado de conservação, assim como teses e trabalhos não publicados.

4 - A reprodução de documentos realiza-se no serviço de reprografia do IUM, sendo necessário efetuar uma requisição para o efeito, na zona de acolhimento.

5 - É permitida a reprodução parcial de documentos pelo processo fotográfico, desde que feita para uso privado e sem o intuito de publicação.

6 - A utilização de reproduções de documentos pertencentes à Biblioteca do CRC para outros fins que não o uso privado, nomeadamente para publicação, carece de autorização prévia da Direção do IUM e implica a indicação expressa da fonte.

 

 

Visit lbetting.co.uk how to sing-up at ladbrokes